13/01/2012

Entre um beijo e uma ponte de desejo, eis que emerge o sentido do fazer. Quero, ainda assim espero... Levo e sei do que me recolho viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário