21/04/2012


Comia o doce que sempre faltava. A doçura fugia carregada pelas formigas. Só os dentes lambiam o açúcar nos grãos de bem-querer.

Um comentário: