19/05/2012


O poeta haveria do nada. A alma conota este tempo passado que enlouqueceu-se de porvir. Sempre a termo uma palavra adia condoê-lo vazio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário