27/01/2012


Espero as manhãs depois da chuva. São eternas quando enfeitiçam um pássaro a bicar-se duplo no espelho de uma poça d'água. Ali o belo dobra.

2 comentários:

  1. o poeta Leonardo voa com a beleza de seus poemas!! Aqui o belo vive!

    ResponderExcluir
  2. que delicadeza... linda, muita. :)

    ResponderExcluir