02/02/2012


Pelos poemas que não findaram plantio ainda dou muda para meu corpo dejeto de areia. As palavras carregam os grãos de que me espalho semeado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário